Por uma sociedade apta a defender a liberdade, preservar sua história e construir um futuro digno, íntegro e próspero.

Instituto Civitas

Por uma sociedade apta a defender a liberdade, preservar sua história e construir um futuro digno, íntegro e próspero.

Sobre o dia das mulheres e os movimentos libertários

Por Sandra Da Silva Kucera

A despeito do que pensam as anti-feministas de plantão, que mais se tornam aquilo que combatem: fundamentalistas de opinião, penso que o 08/03 é, assim como outras convenções sociais, uma data importante, afinal de contas, vivemos em sociedade e as convenções fazem parte da nossa vida, rechaça-las com azedume mais demonstra desarmonia interior do que a proposição de uma alternativa para o sentimento comum.

E, cá entre nós mulheres: chutamos, driblamos, cruzamos, cabeceamos e defendemos tudo ao mesmo tempo e… de salto alto!!!! Caramba se não é dia de nos abraçarmos!!!

Nem melhores que os homens, nem piores, apenas diferentes. E, por causa dessas diferenças, nos encontramos… compartilhando dores e alegrias, prazeres e dissabores, é por isso que a presença das amigas, na vida de uma mulher, é algo tão caro e importante. Só um coração feminino pra entender em profundidade outro coração de mulher.

Dentre os movimentos de libertação das mulheres, fico com aquele iniciado por Jesus: amou sem esperar delas nada em troca, numa época de sociedade patriarcal, conversou, conviveu, ensinou e acolheu todas as mulheres que encontrou. No momento final na cruz, acercou-se delas, e foi a uma mulher que re-apareceu triunfante após a crucificação. Ao contrário de outros movimentos que libertam as mulheres para virarem escravas dos libertadores, Jesus as libertou para a Vida, e para a Vida em abundância!

Por tudo isso, fica aqui o meu abraço e minha profunda gratidão a todas as mulheres, em especial aquelas que fazem parte de mim: minha mãe, minhas amigas. Beijo no ❤!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.